Link de exemplo
Ícone do botão Button Label
Ícone de carregamento

Logística:
 cruzamos fronteiras e horizontes

Atravessamos o céu, a terra e o mar para levar nossa energia a pessoas do mundo inteiro. Descubra como integramos nosso transporte e comercialização.
dutos com uma refinaria iluminada ao fundo

Vamos mais longe para levar nossa energia, ou usamos nossa energia para ir mais longe?

Nossa produção diária de petróleo no Brasil é de mais de 2 milhões de barris de óleo equivalente — o suficiente para abastecer a rotina de milhões de pessoas. Mas isso só é possível porque percorremos uma longa jornada.
 
Criamos caminhos para permitir que pessoas e materiais cheguem às unidades de operação. Que o petróleo chegue às refinarias. Que os produtos derivados cheguem a todas as regiões do país. Atuamos junto à Transpetro, nossa subsidiária logística, para transportar, armazenar, importar e exportar com segurança e agilidade máximas.

Descubra como integramos nossa logística

Nossa atuação começa muito antes do petróleo chegar em terra firme. Conheça nossas principais atividades logísticas.
No mar
Na terra
No ar

Para explorar o fundo do mar, também dominamos a superfície

Nossos terminais aquaviários são operados junto à Transpetro por meio de píeres, de monoboias ou de quadro de boias. Com eles, fazemos:
  • Escoamento da produção de petróleo e transporte para o continente.
  • Importação e exportação de petróleo e derivados.
  • Apoio a operações de transferência (offloading), manutenção e inspeção de terminais oceânicos.
  • Cabotagem (transporte marítimo entre portos dentro do país) de petróleo e derivados.
  • Logística de materiais, equipamentos, água, diesel e alimentação para as unidades marítimas.
  • Tratamento e disposição dos resíduos de processos de exploração e produção de petróleo.
  • Prontidão e controle de eventuais emergências de óleo no mar.
Fundo azul com informações sobre os principaiis indicadores da Petorbras

Nós produzimos os combustíveis e o asfalto, e também fazemos questão de usar

Diariamente, atravessamos o solo brasileiro de norte a sul e de leste a oeste para transportar petróleo, gás natural e seus derivados com agilidade e segurança entre nossas operações.
 
Além da presença viária, que cobre boa parte da malha nacional, nossa principal movimentação terrestre acontece por dutos e oleodutos operados pela Transpetro.
 
Unindo o transporte pelas estradas e por tubulações, conseguimos conectar nossas refinarias, unidades de tratamento de gás e termelétricas entre si e com empresas que utilizam nossos produtos, como outras petrolíferas, distribuidoras e petroquímicas.
Imagem de fundo do banner

O céu nunca foi o limite para nossa
operação logística

Por aqui passam nossos ativos mais importantes: as pessoas. Em 2020, transportamos mais de 5 mil passageiros, uma multidão equivalente ao número de visitantes de Fernando de Noronha por 3 anos! Somos responsáveis por 20% de todo o transporte aéreo da indústria offshore mundial de petróleo e gás.
 
As operações aéreas também são usadas para auxiliar em inspeções, necessidades médicas e transporte de materiais para ativos offshore.
Imagem de fundo do banner

Produtos transportados

LCO, LGN, GLP… Antes de seguirmos em frente, vamos fazer uma parada para conhecer um pouco mais sobre os produtos que produzimos e transportamos.

Petróleo

Nossa principal matéria-prima, que pode ser transformada em diversos produtos por meio do refino.

Produtos claros

Nome usado para agrupar diferentes derivados de cor clara do petróleo, como a gasolina

Produtos escuros

Nome usado para agrupar os derivados de cor escura do petróleo, como o óleo bunker.

Óleo combustível

É usado em caldeiras e em motores de usinas termelétricas, por exemplo

Líquido de Gás Natural (LGN)

Derivado do refino do gás natural, o LGN é usado como componente da gasolina.

Gás Liquefeito de Petróleo (GLP)

É o tradicional gás de cozinha, podendo ser propano, butano ou uma mistura dos dois gases.

Óleo Diesel de Craqueamento (LCO)

Também chamado de óleo leve, o LCO é derivado do refino do petróleo.

Álcool

É o biocombustível normalmente obtido a partir da cana-de-açúcar. Transportamos o etanol produzido por terceiros.

Uma complexa malha de terminais e oleodutos para simplificar a logística

Para armazenar e distribuir nosso petróleo e derivados com segurança e agilidade, usamos uma rede integrada de 49 terminais logísticos, conectados por 38 dutos e oleodutos.
Angra dos Reis
Aracaju
Aquaviário Barra do Riacho
Barueri
Belém
Biguaçu
Brasília
Cabedelo
Cabiúnas
Campos Elíseos
Candeias
Coari
Cubatão
Guamaré
Guaramirim
Guararema
Guarulhos
Ilha d'Água
Ilha Redonda
Itabuna
Itajaí
Japeri
Jequié
Macapá
Maceió
Madre de Deus
Manaus
Mucuripe
Niterói
Norte Capixaba
Osório
Paranaguá
Paulínia
Terminal de Regaseificação da Bahia
Terminal de Regaseificação de GNL da Baía de Guanabara
Terminal de Regaseificação de GNL de Pecém
Ribeirão Preto
Rio Grande
Santos
São Caetano do Sul
São Francisco do Sul
São Luís
São Sebastião 
Senador Canedo
Suape
Uberaba
Uberlândia
Vitória 
Volta Redonda
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Angra dos Reis, da Petrobras.

Angra dos Reis

Link de exemplo
Ícone do botão Angra dos Reis - Rio de Janeiro
O terminal é utilizado como entreposto de exportação e cabotagem para terminais de menor porte, além de exportar o óleo combustível excedente na produção nacional. Atende à elaboração de bunker usado para abastecer os navios que operam no terminal e nos portos de Mangaratiba e Sepetiba.
  • Oleoduto ORBIG
Foto do terminal logístico de Angra dos Reis, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Aracaju, da Petrobras.

Aracaju

Link de exemplo
Ícone do botão Aracaju - Sergipe
É o responsável pelo armazenamento e embarque do petróleo produzido em Sergipe, na plataforma continental e nos campos terrestres de Carmópolis, Siriri e Riachuelo. Também é utilizado como entreposto para armazenar o óleo das bacias do Rio Grande do Norte, Ceará, Amazonas, Alagoas e Espírito Santo.
Fotografia do terminal de Aracajú
Mapa mostrando localização do terminal logístico Barra do Riacho, da Petrobras.

Barra do Riacho

Link de exemplo
Ícone do botão Aracruz - Espírito Santo
Localizado em Aracruz/ES, este terminal recebe o GLP e a Gasolina Natural (C5+) da Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC), por meio de 2 dutos de aproximadamente 77 km. O C5+ é escoado por navio e o GLP pode ser escoado por navio ou por carregamento rodoviário.
Foto do terminal logístico Barra do Riacho, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Barueri, da Petrobras.

Barueri

Link de exemplo
Ícone do botão Barueri - São Paulo
O terminal recebe, armazena e transfere derivados de petróleo e álcool das refinarias de Paulínia, do Vale do Paraíba e de Capuava, e dos terminais de São Caetano do Sul, Guarulhos, Guararema e Cubatão para distribuição. Também realiza o carregamento rodoviário de gás liquefeito de petróleo.
  • Oleoduto OBATI
  • Oleoduto OPASA
Foto de cima do Terminal Logístico de Barueri
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Belém, da Petrobras.

Belém 

Link de exemplo
Ícone do botão Belém - Pará
O terminal aquaviário de Belém abastece os estados do Pará e do Amapá. Com ele, realizamos transporte de produtos para o terminal de Vila do Conde e efetuamos transbordo no terminal de Outeiro.
Foto do terminal logístico de Belém, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Biguaçu, da Petrobras.

Biguaçu

Link de exemplo
Ícone do botão Biguaçu - Santa Catarina
O terminal terrestre de Biguaçu está localizado a 25 km de Florianópolis, e recebe e armazena produtos para abastecer sua região de influência.
  • Oleoduto OPASC
Foto do terminal logístico de Biguaçu, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Brasília, da Petrobras.

Brasília

Link de exemplo
Ícone do botão Brasília - Distrito Federal
O terminal terrestre de Brasília armazena e distribui produtos derivados para as companhias distribuidoras da região.
  • Oleoduto OSBRA
Foto do terminal logístico de Brasília, da Petrobras.
Foto do terminal logístico de Cabedelo, da Petrobras.

Cabedelo

Link de exemplo
Ícone do botão Cabedelo - Paraíba
O terminal aquaviário Cabedelo recebe derivados de petróleo, por navios, e álcool, por caminhões-tanque. A partir dele, distribuímos esses produtos para atender às demandas energéticas do estado da Paraíba.
Foto do terminal logístico de Cabedelo, da Petrobras.
Mapa mostrando localiazação do terminal logístico de Cabedelo, da Petrobras.

Cabiúnas

Link de exemplo
Ícone do botão Macaé - Rio de Janeiro
O terminal terrestre de Cabiúnas tem como principais atividades o recebimento e o armazenamento do petróleo originado da Bacia de Campos pelo oleoduto Cabiúnas-Barra do Furado, e faz o terminal de Campos Elíseos pelo oleoduto Cabiúnas-Duque de Caxias.​​​​​​
  • Oleoduto OSDUC
  • Oleoduto OCAB
Foto do terminal logístico de Cabiúnas, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Campos Elíseos, da Petrobras.

Campos Elíseos

Link de exemplo
Ícone do botão
Macaé - Rio de Janeiro
Recebe e armazena o petróleo originado de Angra dos Reis, de Macaé e da Ilha D'água, além de abastecer o petróleo e óleo diesel da Refinaria Gabriel Passos (Regap). Também monitora as operações do Oleoduto Osrio, recebendo gasolina, diesel e álcool para a Base de Distribuição de Volta Redonda.
  • Oleoduto ORBEL I
  • Oleoduto ORBEL II
  • Oleoduto ORBIG
  • Dutos até a Reduc
  • Oleoduto OSDUC
Foto do terminal logístico de Campos Elíseos, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Candeias, da Petrobras.

Candeias

Link de exemplo
Ícone do botão
Candeias - Bahia
Principal ponto de escoamento da produção da Refinaria de Mataripe (RLAM), cujos derivados abastecem o estado de Sergipe e o Norte da Bahia.
  • Oleodutos BECAN 6 e 8
Foto do terminal logístico de Candeias, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Coari, da Petrobras.

Coari

Link de exemplo
Ícone do botão Coari - Amazonas
Terminal fundamental para o escoamento de petróleo e gás produzido em Urucu. Ele armazena e entrega a navios para o abastecimento de petróleo da Refinaria de Manaus e suprimento do mercado de GLP nos estados do Pará, Rondônia, Maranhão e parte do Ceará e de Pernambuco.
  • Oleodutos ORSOL I e II
Foto do terminal logístico de Coari, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Cubatão, da Petrobras.

Cubatão

Link de exemplo
Ícone do botão Cubatão - São Paulo
Interliga o Planalto Paulista, a Baixada Santista e a Refinaria Presidente Bernardes (RPBC). É utilizado como parque de armazenamento intermediário para bombeamento ou recebimento de produtos, como: derivados em geral, petróleo, GLP, gasolina fora de especificação e nafta petroquímica.
  • Dutos até Santos
  • Dutos até RPBC
  • Oleodutos SSPA 1 e 2
  • Oleodutos SSPB, SSPC e SSPT
  • Oleoduto OSSPP 12
  • Oleoduto OSBAT
Foto do terminal logístico de Cubatão, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Guamaré, da Petrobras.

Guamaré

Link de exemplo
Ícone do botão Guamaré - Rio Grande do Norte
O terminal aquaviário de Guamaré serve, principalmente, como ponto de armazenamento e escoamento para a produção de petróleo oriundo dos campos de terra do estado do Rio Grande do Norte. Esse serviço é feito por cabotagem ou viagens de longo curso.
Foto do terminal logístico de Guamaré, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Guaramirim, da Petrobras.

Guaramirim

Link de exemplo
Ícone do botão Guaramirim - Santa Catarina 
Localizado a 28 km de Joinville, o terminal é responsável por armazenar produtos e abastecer sua região de influência. Ele recebe, por sangria, óleo diesel ambiente, gasolina, álcool anidro e hidratado. Suas operações são centralizadas na Sala de Controle e executadas pelo Sistema Supervisório.
  • Oleoduto OPASC
Foto do terminal logístico de Guaramirim, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Guararema, da Petrobras.

Guararema

Link de exemplo
Ícone do botão Guararema - São Paulo
O Terminal de Guararema tem a função de abastecer as refinarias de Paulínia, Vale do Paraíba e Capuava, sendo intermediário do Terminal de São Sebastião.
  • Oleoduto OSRIO
  • Oleoduto OSPLAN I
  • Oleoduto OSPLAN II
  • Oleoduto OSVAT
  • Oleoduto RV16
  • Oleodutos OSVAT 22 e 24
  • Oleoduto OSVAT 30)
Foto do terminal logístico de Guararema, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Guarulhos, da Petrobras.

Guarulhos

Link de exemplo
Ícone do botão Guarulhos - São Paulo
Recebe derivados das refinarias Vale do Paraíba, Paulínia, Guararema, São Caetano do Sul, Capuava e São Sebastião. Também armazena e transporta gasolina, diesel, álcool e QAV-1, e transfere querosene de aviação para abastecer aviões no Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica).
  • Oleoduto OSVAT 16
  • Oleodutos OSVAT 22 e 24)
Foto do terminal logístico de Guarulhos, da Petrobras.
Mapa do terminal Logístico de Ilhas d´´Agua

Ilha d'Água

Link de exemplo
Ícone do botão Ilha d'Água - Rio de Janeiro
Realiza operações de cabotagem e de importação e exportação de derivados de petróleo, facilitando o escoamento de diversos produtos de/para a Refinaria Duque de Caxias. Com ele, fornecemos bunker para navios atracados no terminal, por oleodutos, ou para navios fundeados, por meio de barcaças.
  • Dutos até a Reduc
Foto do terminal logístico de Ilha d’Água, da Petrobras.
Mapa do terminal logístico de Ilha Redonda

Ilha Redonda

Link de exemplo
Ícone do botão Ilha Redonda - Rio de Janeiro
O terminal aquaviário da Ilha Redonda está interligado por gasoduto à Refinaria Duque de Caxias. Com ele, realizamos operações de cabotagem, de importação e de exportação de GLP, de butadieno e de propeno.
  • Oleoduto GLP-Reduc
Foto do terminal logístico de Ilha Redonda, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Itabuna, da Petrobras.

Itabuna

Link de exemplo
Ícone do botão Itabuna - Bahia
O Terminal de Itabuna recebe e armazena diesel, gasolina e GLP vindos do Terminal Madre de Deus, via Oleoduto Recôncavo-Sul da Bahia (Orsub), e álcool anidro e hidratado via rodoviária. Depois, transfere os produtos para as companhias distribuidoras por plataforma de carregamento de caminhões-tanque.
  • Oleoduto ORSUB
Foto do terminal logístico de Itabuna, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Itajaí, da Petrobras.

Itajaí

Link de exemplo
Ícone do botão Itajaí - Santa Catarina
O terminal recebe e armazena óleo diesel ambiente, gasolina, álcool anidro, álcool hidratado e GLP para abastecer sua região de influência. Todas as operações, com exceção de algumas secundárias e eventuais, serão centralizadas na Sala de Controle e executadas através do Supervisório.
  • Oleoduto OPASC
Foto do terminal logístico de Itajaí, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Itajaí, da Petrobras.

Japeri

Link de exemplo
Ícone do botão Japeri - Rio de Janeiro
O terminal possui tancagem para abastecer o Terminal de Volta Redonda com diesel e gasolina. Para isso, conta com 6 tanques de armazenamento de gasolina e de diesel e 2 para resíduos.
  • Oleoduto OSRIO
Foto do terminal logístico de Japeri, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Jequié, da Petrobras.

Jequié

Link de exemplo
Ícone do botão Jequié - Bahia
O Terminal de Jequié recebe e armazena diesel, gasolina e GLP vindos do Terminal Madre de Deus, via Oleoduto Recôncavo-Sul da Bahia (Orsub), e álcool anidro e hidratado via rodoviária. Depois, transfere os produtos para as companhias distribuidoras por plataforma de carregamento de caminhões-tanque.
  • Oleoduto ORSUB
Foto do terminal logístico de Jequié, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Macapá, da Petrobras.

Macapá

Link de exemplo
Ícone do botão Macapá - Amapá
Realiza o transbordo de navio com diesel para a tancagem flutuante (balsa BS7) e, depois, para as barcaças aliviadoras das companhias distribuidoras que atendem à região. O diesel é para o consumo rodoviário e, principalmente, para a geração de energia elétrica para o estado do Amapá.
Foto do terminal logístico de Macapá, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Maceió, da Petrobras.

Maceió

Link de exemplo
Ícone do botão Maceió - Alagoas
Opera com caminhões-tanque para o transporte de diesel, gasolina, petróleo e álcool, diretamente às distribuidoras. A movimentação dos produtos busca atender ao estado de Alagoas, as cidades vizinhas, as refinarias e os países importadores de álcool. 
  • Oleoduto OPMAC
Foto do terminal logístico de Maceió, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Madre de Deus, da Petrobras.

Madre de Deus

Link de exemplo
Ícone do botão Madre de Deus - Bahia
O terminal aquaviário de Madre de Deus é o principal ponto de escoamento da produção da Refinaria de Mataripe, cujos derivados abastecem as regiões Norte e Nordeste.
  • Oleoduto ORSUB
  • Dutos até a RLAM
Foto do terminal logístico de Madre de Deus, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Manaus, da Petrobras.

Manaus

Link de exemplo
Ícone do botão Manaus - Amazonas
O terminal aquaviário de Manaus está localizado na Refinaria Isaac Sabbá, e é utilizado como porta de entrada e de saída dos produtos movimentados e produzidos por ela.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Manaus, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Manaus, da Petrobras.

Mucuripe

Link de exemplo
Ícone do botão Mucuripe - Ceará
O terminal concentra a entrada e saída de produtos de nossa refinaria no Ceará. Em seu píer, o óleo chega para ser processado e os derivados são enviados para as distribuidoras, atendendo ao mercado local. Abastecemos, também, embarcações com bunker no cais comercial do Porto de Mucuripe.
Foto do terminal logístico de Mucuripe, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Niterói, da Petrobras.

Niterói

Link de exemplo
Ícone do botão Canoas - Rio Grande do Sul
Localizado na cidade de Canoas, região metropolitana de Porto Alegre/RS, o terminal carrega barcaças-tanque com bunker e transporte rodoviário de óleo leve de reciclo, além de receber óleo combustível marítimo por caminhões-tanque. Seu píer principal tem capacidade para embarcações de até 4.000 TPB.
  • Oleoduto ORNIT
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Niterói, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico Norte Capixaba, da Petrobras.

Norte Capixaba

Link de exemplo
Ícone do botão São Mateus -  Espírito Santo
O terminal aquaviário Norte Capixaba recebe petróleo dos campos terrestres do norte do Espírito Santo e escoa o produto por navios atracados em monoboia.
Foto do terminal logístico Norte Capixaba, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Osório, da Petrobras.

Osório

Link de exemplo
Ícone do botão Osório - Rio Grande do Sul
Terminal oceânico não abrigado, constituído por 2 sistemas de monoboias instalados em mar aberto, próximos à costa de Tramandaí/RS. Esses sistemas são projetados para a amarração de navios nas operações de carga e descarga de petróleo e derivados (nafta, diesel, condensado petroquímico e gasolina).
  • Oleoduto OSCAN
Foto do terminal logístico de Osório, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Paranaguá, da Petrobras.

Paranaguá

Link de exemplo
Ícone do botão Paranaguá - Paraná
O terminal aquaviário de Paranaguá opera interligado com a Refinaria Presidente Getúlio Vargas e também fornece bunker para navios no Porto de Paranaguá. O escoamento dos derivados é realizado por modais rodoviário e ferroviário e por oleodutos.
  • Oleoduto OLAPA
  • Oleoduto OPASC
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Paranaguá, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Paulínia, da Petrobras.

Paulínia

Link de exemplo
Ícone do botão Paulínia - São Paulo
Armazena etanol hidratado e etanol anidro transportados de Ribeirão Preto/SP para a Refinaria de Paulínia (Replan). A unidade, com capacidade de 216.400m³, tem papel estratégico para o escoamento da produção de etanol de regiões do interior do estado de São Paulo.
  • Oleoduto OSBRA
  • Oleoduto OSPAN I
  • Oleoduto OSPAN II
  • Oleoduto OSVAT 30
Foto do terminal logístico de Paulínia, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do Terminal de Regaseificação da Bahia (TRBA), da Petrobras.

Terminal de Regaseificação da Bahia (TRBA)

Link de exemplo
Ícone do botão Madre de Deus - Bahia
Terceiro Terminal Flexível de Regaseificação de GNL do Brasil, o TRBA tem capacidade de aquecer, regaseificar e injetar até 14 milhões de m³/dia no Gasoduto GASCAC.
Foto do Terminal de Regaseificação da Bahia (TRBA), da Petrobras.
Mapa mostrando localização do Terminal de Regaseificação de GNL da Baía de Guanabara, da Petrobras.

Terminal de Regaseificação de GNL da Baía de Guanabara

Link de exemplo
Ícone do botão Rio de Janeiro - Rio de Janeiro
O Terminal Flexível de Regaseificação de GNL da Baía de Guanabara tem capacidade para transferir até 14 milhões de m³/dia de gás natural para a malha de gasodutos Sudeste. Atende, principalmente, às termelétricas da região.
Foto do Terminal de Regaseificação de GNL da Baía de Guanabara, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do Terminal de Regaseificação de GNL de Pecém, da Petrobras.

Terminal de Regaseificação de GNL de Pecém

Link de exemplo
Ícone do botão São Gonçalo de Amarante - Ceará
Primeiro terminal flexível de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL) no Brasil. Tem capacidade de transferir até 7 milhões de m³/dia de gás natural para o Gasoduto Guamaré-Pecém (Gasfor) e atende, principalmente, às termelétricas do Ceará.
Foto do Terminal de Regaseificação de GNL de Pecém, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Ribeirão Preto, da Petrobras.

Ribeirão Preto

Link de exemplo
Ícone do botão Ribeirão Preto - São Paulo
Armazena e distribui óleo diesel, gasolina e GLP para as companhias distribuidoras da região, além de fazer o carregamento rodoviário de GLP.
  • Oleoduto OSBRA
Foto do terminal logístico de Ribeirão Preto, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico Rio Grande, da Petrobras

Rio Grande

Link de exemplo
Ícone do botão Rio Grande - Rio Grande do Sul
Rio Grande é o terminal aquaviário localizado mais ao sul do Brasil. Ele possui tancagem destinada a derivados e a produtos especiais, de onde são transportados petróleo, tolueno e xileno. Também realiza transbordo de GLP e abastecimento de navios com bunker. ​Confira aqui a Tabela de Preços dos serviços prestados no Pier Petroleiro de Rio Grande - RS.
Foto do terminal logístico Rio Grande, da Petrobras
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Santos, da Petrobras.

Santos

Link de exemplo
Ícone do botão Santos - São Paulo
Opera como regulador do estoque da produção de derivados. Entre as atividades que realizamos, estão: transferência e recebimento de produtos de navios; abastecimento de bunker nos navios atracados no Porto de Santos; recebimento e expedição para refinarias; envio de GLP para as companhias da região.
  • Dutos até Cubatão
Foto do terminal logístico de Santos, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de São Caetano do Sul, da Petrobras.

São Caetano do Sul

Link de exemplo
Ícone do botão São Caetano do Sul - São Paulo
O terminal recebe, armazena e transfere derivados e alcoóis para: as companhias distribuidoras; os terminais de Barueri, Guarulhos, Guararema, Cubatão, Santos e São Sebastião; as refinarias Revap, Recap, RPBC e Replan; a Usina Piratininga, a Petroquímica União e a Utingás.
  • Oleoduto OBATI
  • Oleodutos RC08, RCES e RC16
  • Oleodutos SSPA 1 e 2
  • Oleodutos SSPB, SSPC e SSPT
  • Oleoduto OSVAT 16
  • Oleodutos OSVAT 22 e 24
Foto do terminal logístico de São Caetano do Sul, da Petrobras.
Mapa do terminal logístico de São Francisco do Sul, da Petrobras.

São Francisco do Sul

Link de exemplo
Ícone do botão São Francisco do Sul - Santa Catarina
O terminal recebe o petróleo de navios, descarregados por monoboia. De lá, o petróleo bruto é enviado por oleodutos submarinos até o terminal. Utilizamos o terminal para armazenar e transferir o produto para a Refinaria do Paraná por meio do oleoduto Santa Catarina-Paraná.
  • Oleoduto OSPAR
Foto do terminal logístico de São Francisco do Sul, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de São Luís, da Petrobras.

São Luís

Link de exemplo
Ícone do botão São Luís - Maranhão
O terminal recebe e armazena derivados de petróleo e GLP, que são transferidos para as distribuidoras instaladas no Porto de Itaqui, e fornece bunker a navios. Também utilizamos o terminal como entreposto de exportação e de cabotagem para terminais de menor porte.
Foto do terminal logístico de São Luís, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de São Sebastião, da Petrobras.

São Sebastião 

Link de exemplo
Ícone do botão São Sebastião - São Paulo
Este é o maior terminal operado pela Transpetro. São Sebastião recebe petróleo por navio-petroleiro e abastece 4 refinarias do estado de São Paulo. Os derivados entram e saem do terminal pelo oleoduto Guararema-Paulínia e por navios, que fazem envio para outros portos nacionais ou para exportação.
  • Oleoduto OSPLAN I
  • Oleoduto OSBAN
  • Oleoduto OSVAT
Foto do terminal logístico de São Sebastião, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Senador Canedo, da Petrobras.

Senador Canedo

Link de exemplo
Ícone do botão Senador Canedo - Goiás
Armazena e distribui óleo diesel, gasolina, QAV e GLP para as companhias distribuidoras da região, além de fazer o carregamento rodoviário pelas bases.
  • Oleoduto OSBRA
Foto do terminal logístico de Senador Canedo, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Suape, da Petrobras.

Suape

Link de exemplo
Ícone do botão Suape - Pernambuco
É responsável pelo armazenamento de derivados de petróleo e de álcool, assim como sua carga/descarga em caminhões-tanque e vagões-tanque. A partir dele, transferimos os derivados para distribuidoras e efetuamos o transbordo entre navios-tanque e abastecimento a navios. Confira aqui a Tabela de Preços dos serviços prestados no terminal.
Foto do terminal logístico de Suape, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Uberaba, da Petrobras.

Uberaba

Link de exemplo
Ícone do botão Uberaba - Minas Gerais
Armazena e distribui óleo diesel, gasolina e álcool para as companhias distribuidoras da região, além de fazer o carregamento rodoviário e ferroviário pelas bases.
  • Oleoduto OSBRA
Foto do terminal logístico de Uberaba, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Uberlândia, da Petrobras.

Uberlândia

Link de exemplo
Ícone do botão Uberlândia - Minas Gerais
Armazena e distribui óleo diesel, gasolina, GLP e álcool para as companhias distribuidoras da região, além de fazer o carregamento rodoviário pelas bases.
  • Oleoduto OSBRA
Foto do terminal logístico de Uberlândia, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Vitória, da Petrobras.

Vitória

Link de exemplo
Ícone do botão Vitória - Espírito Santo
Recebe derivados de petróleo por navio-petroleiro e abastece as empresas distribuidoras. O terminal opera óleo combustível para as indústrias locais e abastece navios com diesel marítimo e com bunker, utilizando barcaças.
Foto do terminal logístico de Vitória, da Petrobras.
Mapa mostrando localização do terminal logístico de Vitória, da Petrobras.

Volta Redonda

Link de exemplo
Ícone do botão Volta Redonda - Rio de Janeiro 
É responsável pelo fornecimento de álcool, diesel e gasolina para o grupo das companhias distribuidoras. O terminal recebe óleo combustível por caminhões-tanque e realiza o bombeamento para a CSN.
  • Oleoduto OSVOL
  • Oleoduto OSRIO
Foto do terminal logístico de Volta Redonda, da Petrobras.

Conheça mais sobre nossos terminais

Acesse o site da Transpetro para ver mais informações e documentos sobre todos os nossos terminais terrestres e aquaviários.

Base de Apoio Offshore de Macaé

Conheça as atividades e operações da nossa Base de Apoio Offshore de Macaé, o Porto Engenheiro Zephyrino Lavenère Machado Filho. Saiba como agendar entrega ou retirada de cargas.

Importação e exportação de petróleo também faz parte da nossa rotina

Além de transportar nossos produtos pelo território brasileiro, nós também importamos e exportamos petróleo e seus derivados para outros países. Assim, nosso modelo logístico não apenas leva nossa energia, mas também gera ganhos para a companhia e para a economia brasileira.

Talvez você se pergunte: “por que importamos se o Brasil é autossuficiente em produção de petróleo?”. Isso acontece porque existem diferentes tipos de petróleo, que exigem processos de refino específicos — quanto mais pesados, maior a complexidade exigida. O óleo do pré-sal, por exemplo, é considerado leve e de valor elevado

Nesses casos, é possível importar óleos não produzidos pela empresa para combinar com o nosso petróleo (o chamado “blend”) e se adequar aos nossos processos de refino. Quer saber mais sobre nossas tecnologias?

Faça uma busca:

Buscar

Sugestões de busca

Link do botão
Ícone do botão Exibir mais resultados
Ícone de carregamento
<